Árvores Nativas

A maioria das espécies de árvores nativas brasileiras é protegida por lei. Além de fazer parte da história do país, as árvores embelezam, dão frutos e incrementam a renda de milhares de trabalhadores brasileiros.

Dispomos das seguintes espécies:

 

Ingá Cipó e Ingá Feijão

nativa1

O ingá, também chamado ingazeira, fornece um fruto em formato de uma longa vagem que contém sementes envolvidas por uma polpa muitas vezes comestível. É muito comum nas margens de rios e lagos, sendo muito procurado pela fauna e pelo homem por suas sementes envolvidas por polpa branca e adocicada. Produz floração diversas vezes ao ano.

 

Paú Brasil - Caesalpinia echinata

nativa211

O pau-brasil ou pau-de-pernambuco, também chamado arabutã, ibirapiranga, ibirapitá, ibirapitanga, orabutã, pau-de-tinta, pau-pernambuco e pau-rosado, é uma árvore leguminosa nativa da Mata Atlântica, no Brasil.

 

Mutambo - Guazuma ulmifolia (Malvaceae)

nativa3

Essa espécie atinge cerca 8 a 16m, é revestida por uma casca acizentada e escamosa. Produz frutos grosseiros de coloração escura e polpa seca e adocicada.

 

Jatobá - Hymenaea courbaril

nativa4

O jatobá é uma árvore da família das Fabaceae ou Leguminosae. Seus frutos vêm dentro de vagens e possui sabor poroso e adocicado - nativa das florestas tropicais do continente americano e da Ásia. Esta árvore é sagrada para os indígenas latino-americanos e também é conhecida como jutaí, copal, jataí e muitos outros nomes.

 

Ipês Verde, Roxo, Branco e Amarelo - Tabebuia

nativa5

O ipê é uma árvore diferente da maioria das outras: quando suas flores nascem, as folhas caem dos galhos. Quando se vê um ipê florido, sabemos que a primavera está próxima — a maioria dos ipês floresce no final do inverno ou no começo da primavera. A imagem do ipê é bastante representativa do Centro-Oeste e do Sudeste do Brasil.

 

Sapucaia - Lecythis pisonis

nativa6

Árvore de médio a grande porte, nativa do Brasil, que atrai a atenção pela magnitude de seu porte e pela bela coloração que sua copa adquire na primavera, que é a soma da coloração da brotação nova, junto com a floração de cor arroxeada. Apresenta um fruto grande que abriga muitas sementes (castanhas) oleaginosas e comestíveis.

 

Amendoeira - Prunus dulcis

nativa7

Popularmente conhecida como amendoeira, amêndoa-de-coco, amêndoa-durázio e amêndoa-molar, é uma árvore de folha caduca da família Rosaceae. A semente do seu fruto é geralmente considerada como um fruto seco: a amêndoa. Apesar de o termo amêndoa se referir ao fruto da amendoeira, usualmente ele também é referido a sua semente, ou mesmo às sementes de outras variedades de amendoeiras. De tais sementes, são extraídos óleos e essências possuidores de propriedades medcinais e muito utilizados na indústria de cosméticos e na produção do licor amaretto.

 

Embaúba - Cecropia

nativa8

As embaúbas são leves, pouco exigentes quanto a solo e muito comuns em áreas desmatadas em recuperação. Possuem frutos atrativos a várias espécies de aves. São capazes de se dispersarem rapidamente. Como possuem caule e ramos ocos, vivem em simbiose com formigas.

 

Araçá Roxo - Psidium myrtoides O. Berg

nativa9

O araçá-roxo é uma árvore brasileira da floresta ombrófila densa da Mata Atlântica, não pioneira, restrita ao litoral norte do estado de São Paulo, ameaçada de extinção.

 

Gabiroba - C. Xanthocarpa

nativa10

Gabiroba é uma planta de origem brasileira, cujo nome é originado da língua guarani, que quer dizer, árvore da casca amarga. A gabirobeira se divide em gabiroba-do-cerrado e gabiroba-da mata. A primeira é uma planta arbustiva, que varia de 0,20 a 1,50 metros de altura. A gabiroba da mata pode alcançar até 15 metros de altura.

 

Coração Negro - Poecilanthe parviflora

nativa11

Está árvore pode atingir até 25 m de altura, seu tronco é revestido por uma casca de coloraçao parda. Suas flores sãao brancas e pouco vistosas e os frutos são vagens que contém apenas uma semente.

 

Pau D'Alho - Gallesia integrifolia

nativa122

Árvore de 10 a 25 m de altura. Tronco ereto, com sapopemas na base, com casca escura, ligeiramente rugosa, glândulas produtoras de essência com aroma semelhante ao do alho. Folhas simples, alternas, medianamente pecioladas, ovais, bordos lisos, glabras, coriáceas, nervura salientes no lado inferior, peninérveas. Flores pequenas, reunidas em panículas terminais, de coloração alvo-creme. Fruto sâmara de aproximadamente 3 cm de comprimento. Todas as partes da planta exalam cheiro de alho, que é mais perceptível em dias de chuva.

 

Sibipiruna - Caesalpinia pluviosa

nativa13

Também conhecida como sebipira, é uma árvore de grande porte, nativa do Brasil, chegando a medir 28 metros de altura com a copa arredondada e muito vistosa. Facilmente confundida com o pau-brasil ou pau-ferro pela semelhança da sua folhagem, é muito usada para arborização, em várias cidades brasileiras.

 

Guatambu - Aspidosperma parviflorum

nativa14

Árvore de médio porte, podendo chegar a 20 m. Folhas simples, lisas com flores claras e seu fruto é achatado com formato de colher, quando maduro se abre soltando sementes aladas de cor creme. Esta espécie é mais encontrada nas regiões do cerrado.

 

 

 

Babosa Branca - Cordia superba

nativa15

Árvore de médio porte, folhas simples, largas e duras. Forma de copa mais fechada e possue flores brancas, grandes e muito vistosas. Seu fruto é redondo, branco e comestível, muito apreciado pela fauna. Muito usada em paísagismo urbano, pela beleza das flores e frutos é encontrada com mais frequência na Caatinga.

 

Leiteira - Tabernaemontana hystrix

nativa16

Árvore rústica de pequeno a médio porte bastante comum nesta região (leste de MG). Os frutos se abrem, expondo o interior vermelho, atraindo a fauna. Produz leite nas folhas, caule e frutos, com muita abundância, daí o nome. Flores brancas cobrindo a árvore em Outubro - Novembro.

 

Cedro - Cedrela fissilis

nativa17

A árvore de cedro mede de 20 a 30 metros de altura; tem casca grossa rugosa em forma de fenda. Possui folhas compostas de folíolos opostos oblongo-lanceolado, agudos, arredondados na bases, sendo que a face superior é lisa e a inferior é aveludada.

 

Pau Formiga - Triplaris americana

nativa18

O pau-formiga é uma árvore tropical majestosa, que impressiona por seu porte e florada exuberantes. Sua copa tem formato colunar a piramidal, com tronco retilíneo, elegante e oco, abrigando formigas em seu interior, numa interessante relação de simbiose. A madeira é leve, de baixa densidade e a casca é cinzenta e levemente fissurada. A folhas são grandes, ovaladas, glabras, membranáceas e simples.

 

Araribá - Centrolobium tomentosum

nativa19

Árvore de grande porte, 10 a 15 metros de altura. Folhas compostas imparipinadas, 13 a 17 folíolos de 20 cm. Flores em cachos na extremidade dos ramos, amarelas com pedúnculos marrom. Fruto grande, alado e com espinhos. Aprox. 25 cm. Esta é a espécie maior entre os Araribás. Existem outras com o porte o fruto menores.

 

 Paina - Cortaderia selloana

nativa20

A paina é uma fibra natural semelhante ao algodão, oriunda dos frutos da paineira. É usado como enchimento para colchões e travesseiros. A paineira existe em abundância no centro do Brasil, especialmente no Mato Grosso.

 

Oiti - Licania tomentosa

nativa21

Espécie originária da Mata Atlântica, é muito utilizada na arborização de várias cidades brasileiras, como Rio de Janeiro e Campo Grande. O seu fruto é uma drupa elipsoide ou fusiforme, de casca amarela mesclada de verde quando madura, com cerca de doze a dezesseis centímetros de comprimento e polpa pastosa, pegajosa, amarelada, de odor forte, com caroço volumoso e oblongo.

 

Aroeira - Myracrodruon urundeuva

nativa22

Árvore de porte médio, dióica, de folhas compostas, aromáticas. Flores pequenas em panículas, fruto tipo drupa, vermelho-brilhante, aromático e adocicado. Reproduz-se por sementes ou por estacas.

 

Araçá Goiaba - Psidium longipetiolatum

nativa23

O Araçá Goiaba tem seu habitat natural nas restingas litorâneas e nas vertentes atlânticas da mata pluvial, chegando a algumas serras, onde se torna mais raro. A planta é um arbusto ou arvoreta, de pouco mais de um ou dois metros de altura quando cultivada. Possui folhas grossas, muito lisas e brilhantes na face superior, de ápice pontiagudo. O tronco é liso, marrom-avermelhado e descamante. Seu cultivo é muito fácil, desde que mantida a pleno sol. Adapta-se a uma grande variedade de solos e climas, e pode ser cultivada com muito sucesso em vasos.

 

Abiú - POUTERIA CAIMITO

nativa24

É originário dos bosques das florestas tropicais de altitude e das matas de galerias dos rios, distribuídos pelo oriente da Venezuela, Colômbia e Peru, aparecendo também na Amazônia Brasileira, tendo seu limite natural no estado de Minas Gerais.

 

Angico Vermelho - Anadenanthera Macrocarpa

nativa25

 

O Angico é uma árvore propícia a regiões quentes, pioneira de médio a grande porte, mede cerca de 13 m, podendo chegar a 20m. Ela apresenta o tronco cilíndrico e sua casca tem aspecto quase liso e escuro. As flores são pequenas de cor amarela com manchas brancas. Floresce de setembro a novembro apresentando uma planta com poucas folhas. Seus frutos se rompem sozinhos e são em forma de vagem, contendo de 5 a 10 sementes e amadurecem de agosto a novembro.

 

 

 

Castanha do Brasil - Bertholletia excelsa

nativa26

 

Popularmente conhecida como castanha-do-pará, é uma árvore de grande porte, muito abundante no norte do Brasil e na Bolívia, cujo fruto (ouriço) contém a castanha, que é sua semente. É uma árvore nativa da Floresta amazônica. É um fruto com alto teor calórico e protéico, além disso contém o elemento selênio que combate os radicais livres e muitos estudos o recomendam para a prevenção do câncer.

 

 

Dedaleiro - Lafoensia pacari

nativa27

 

É uma árvore brasileira da família Lythraceae, de baixo a médio porte, tem floração e frutos muito vistosos e pode chegar até a 20 metros. Floresce durante os meses de outubro a dezembro e a maturação dos frutos ocorre durante o período de abril a junho. Esta espécie é um tanto quanto rara e dispersa na natureza. A árvore apresenta boas características ornamentais e pode ser utilizada no paisagismo, principalmente na arborização urbana.

 

 

Pimenta da Jamaica - Pimenta dioica

nativa28

É uma espécie de árvore que chega a medir 10 m e possui casca lisa e acizentada, flores em seu alto e frutos em formas de bagas. Nativa da América Central e Caribe, sua madeira é própria para o fabrico de bengalas, e a casca, os frutos e as sementes são estimulantes, carminativos, aromáticos e sucedâneos da pimenta-do-reino. Também é conhecida pelos nomes de murta-pimenta, pimenta e pimenta-de-coroa.

 

© 2017 - Flora Roseira Comercial LTDA.

Rua Augusto Pereira Coelho, S/N - CEP: 12580-000
Roseira-SP

12   3646-1160
12 99671-1556
12 99772-1160

Desenvolvimento e HospedagemCrie seu site conosco!